LEÃO BAIO

PARQUE NACIONAL DE APARADOS DA SERRA (PNAS) E PARQUE NACIONAL DA SERRA GERAL (PNSG)

Os Parques Nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral estão localizados no Sul do Brasil, na divisa do estado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, na área de três municípios Praia Grande (SC), Jacinto Machado (SC) e Cambará do Sul (RS).

A proposta de criação do Parque Nacional, surgiu por ambientalistas, botânicos dos anos 50, como o pesquisador Padre Balduíno Rambo, que presenciou a forte extração das araucárias na região.

 A primeira proposta foi de criar um “parque natural” do estado do Rio Grande do Sul, que teve inicio em 1957, onde o governo do estado declarou uma área de 13.000 hectares como de utilidade pública, no então município de São Francisco de Paula, hoje município de Cambará do Sul (RS).

O Parque Nacional de Aparados da Serra (PNAS) foi criado oficialmente dois anos depois através do decreto nº 47.446, de 17 de dezembro de 1959, contribuindo com a preservação das Matas de Araucárias (Ombrófila Mista), da Mata Atlântica (Ombrófila Densa), os canyons e a fauna, como:  o Puma Concolor (Leão Baio), viado campeiro, bugio entre outros animais.  (PLANO DE MANEJO, 2004).

Com a abertura da estrada da Serra do Faxinal o local começou a ser cada vez mais frequentado por famílias, ambientalistas e aventureiros da região e de outros estados do Brasil.

O Parque Nacional da Serra Geral (PNSG) surgiu após a elaboração do Primeiro Plano de Manejo do Parque Nacional de Aparados da Serra em 1982/83, no qual os técnicos sugeriram a inclusão dos outros cânions como: Faxinalzinho, Índios Coroados, Malacara e o Fortaleza e todos os ecossistemas, como forma de garantia da proteção desta biodiversidade. (IBAMA, 2004).

Para atender a sugestão do Plano de Manejo do PNAS, no ano de 1992 foi criado o Parque Nacional da Serra Geral, regulamentado pelo decreto n ° 531, com área de 17.300 há. O parque é dividido em uma área de 15.000 ha e outra com cerca de 2.300 ha, ambas as áreas contíguas ao Parque Nacional de Aparados da Serra, sendo a gestão das unidades compartilhada e administrada pelo ICMBIO – Instituto de Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. (GATTI, 2OO4).

QUANDO VISITAR OS PARQUES NACIONAIS?

O Parque é aberto à visitação durante todo o ano.

O horário de visitação do Parque Nacional de Aparados da Serra (Cânion Itaimbezinho) é das 8h às 17h, de terça feira a domingo (abrindo nas segundas-feiras de feriados nacionais, carnaval, natal e ano novo). Para a trilha do Cotovelo é necessário adentrá-la antes das 15h.

Trilha Horário Entrada Entrada por
Vértice 08h00 – 17h00 Cambará do Sul – RS
Cotovelo 08h00 – 15h00 Cambará do Sul – RS
Rio do Boi 08h00 – 12h00 Praia Grande – SC

COMO CHEGAR?

Vindo do estado de Santa Catarina, pela BR 101, entrada no acesso para São João do Sul até o município de Praia Grande SC (21 km pela SC 290 – antiga SC 450). Praia Grande fica a cerca de 300 km da Capital de Florianópolis e a 210 km da Capital de Porto Alegre, pela BR 101, Vindo pelo estado do Rio Grande do Sul, acessar o trevo para Cambará do Sul (na Rota do Sol ou RS – 020). Cambará fica a cerca de 190 km da Capital de Porto Alegre.

INGRESSOS

O valor do ingresso no Parque Nacional de Aparados da Serra: R$ 8,00 reais por pessoa para Brasileiros e R$ 16,00 reais por pessoa para Estrangeiros. O valor do estacionamento é R$ 5,00 reais para carros, R$ 10,00 reais para ônibus e R$ 3,00 reais para motos.

O QUE FAZER?

– Caminhadas;

– Bicicleta ;

– Banho de rio (somente Trilha do Rio do Boi e Malacara);

– Recreação em contato com a natureza;

– Visita à exposição;

– Contemplação, fotografia ou arte;

– Observação de fauna;

– Piquenique nas áreas permitidas.

ORIENTAÇÕES

NÃO É PERMITIDO NO PARQUE NACIONAL DE APARADOS DA SERRA:

– Entrada de animais de estimação dentro dos Parques Nacionais (cachorros e gatos);

– Acampar;

– Coletar material biológico (vegetal ou animal) ou mineral sem autorização oficial;

– Fazer uso de fogo;

– Alimentar os animais silvestres.

Recomenda-se consultar sobre a visibilidade nos Parques por correio eletrônico (parnaaparadosdaserra@icmbio.gov.br), através do Twitter (@PNAS_PNSG), com informativos atualizados diariamente sobre as condições de visitação ou consulte ainda pelo Skype (pn.aparadosdaserra.serrageral).

PLANEJAMENTO É FUNDAMENTAL

– Informe-se sobre as condições climáticas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais;

– Certifique-se que você possui uma forma de acondicionar seu lixo (sacos plásticos), para trazê-los de volta. Aprenda a diminuir a quantidade de lixo, deixando em casa as embalagens desnecessárias;

– Escolha as atividades que você vai realizar na sua visita conforme o seu condicionamento físico e seu nível de experiência.

– Faça as atividades com roupas e tênis apropriados para as atividades.

VOCÊ É RESPONSÁVEL POR SUA SEGURANÇA

– O salvamento em ambientes naturais é caro e complexo, podendo levar dias. Portanto, não se arrisque . Contrate um Condutor Local;

– Tenha certeza de que você dispõe do equipamento apropriado para cada situação. Acidentes e agressões à natureza em grande parte são causados por improvisações e uso inadequado de equipamentos;

– Leve sempre os itens essenciais:Lanche, água, lanternas, agasalho, capa de chuva, manta térmica e um estojo de primeiros socorros; mesmo em atividades com apenas um dia ou poucas horas de duração;

– Caso você não tenha experiência de atividades recreativas em ambientes naturais, entre em contato com a Agencia e Operadora de Ecoturismo LEÃO BAIO;

– Visitantes inexperientes podem causar grandes impactos sem perceber e se expor a riscos desnecessários. CUIDE DAS TRILHAS;

– Mantenha-se nas trilhas pré-determinadas, não use atalhos. Os atalhos favorecem a erosão e a destruição de raízes e plantas inteiras;

– Mantenha-se na trilha, mesmo se ela estiver molhada, lamacenta ou escorregadia. A dificuldade das trilhas faz parte do desafio de vivenciar a natureza. Se você contorna a parte danificada de uma trilha, o estrago se tornará maior no futuro;

– Ao percorrer uma trilha, certifique-se de que ela permanece como se ninguém houvesse passado por ali. Remova todas as evidências de sua passagem. Não deixe rastros!

TRAGA SEU LIXO DE VOLTA

– Não queime nem enterre o lixo. As embalagens podem não queimar completamente, e animais podem cavar até o lixo e espalhá-lo. Traga todo o seu lixo de volta com você;

– Utilize as instalações sanitária que existirem. Caso não haja instalações sanitárias (banheiros ou latrinas) na área, enterre as fezes em um buraco;

– Traga o papel higiênico utilizado de volta.

DEIXE CADA COISA EM SEU LUGAR 

– Não construa qualquer tipo de estrutura, com bancos, mesas, pontes, etc. Não quebre ou corte galhos de árvores, mesmo que estejam mortas ou tombadas, pois podem estar servindo de abrigo para aves ou outros animais;

– Resista a tentação de levar “lembranças” para casa. Deixe pedras, artefatos, flores, conchas e etc. onde você os encontrou, para que outros também possam apreciá-los;

– Tire apenas fotografias, deixe apenas leves pegadas e leve para casa apenas suas memórias. RESPEITE OS ANIMAIS E AS PLANTAS;

– Observe os animais à distância. A proximidade pode ser interpretada como uma ameaça e provocar um ataque, mesmo de pequenos animais. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves;

– Não alimente os animais. Os animais podem acabar se acostumando com a comida humana, ficarem doentes, levando a extinção da espécie, também, podem atacar os visitantes.

– Não retire flores e plantas silvestres. Aprecie sua beleza no local, sem agredir a natureza e dando a mesma oportunidade a outros visitantes;

– Ande em silêncio, preservando a tranqüilidade e a sensação de harmonia que a natureza favorece. Deixe rádio e instrumentos sonoros em casa;

– Ao se aproximar de moradores da área, trate-os com cortesia e respeito. Comporte-se como um visitante em casa alheia;

– Mantenha fechadas porteiras e cancelas, evitando a fuga de animais para as propriedades vizinhas e/ou ambientes naturais;

– Colabore com a educação de outros visitantes, transmitindo os princípios de mínimo impacto sempre que tiver oportunidade;

– Denuncie agressões contra o meio ambiente aos órgãos responsáveis.

ENTRE EM CONTATO CONOSCO, TIRE TODAS AS DÚVIDAS E MARQUE SUA TRILHA!!

contato@leaobaio.com.br ou 91494206

Caso não conseguir entrar em contato conosco, é porque estamos nas trilhas e responderemos o mais breve possível. Obrigada !